xxix · o final, afinal

5 dez

Embora não apenas isto, esta obra é uma confissão. E deixa evidente que o sonho de tornar-se escritor foi consumado. O autor conseguiu ver muitos de seus sonhos virarem realidade.
As viagens dos astronautas e das naves sem tripulação encheram a Internet de imagens do planeta azul que saciaram metade da vontade do autor de ver a Terra do espaço.
Tudo tem um fim: É chegada a hora de preparar as despedidas e matar o pouco que sobra do seu tempo emprestado. Logo ali, a última letrinha, o ponto final definitivo prometido. Ao fechar este livro, você, caro leitor, dileta leitora, também chegará ao fim. Essa manifestação de sua existência simplesmente cessará. Com seu desaparecimento, o autor terá completado o derradeiro assassinato, a mais importante tarefa, a mais difícil das missões, o sonho mais almejado.
Hmm… Pensando bem: resta ainda ganhar o Nobel de Literatura.
Não falei que a presunção era sem limites?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: